x

Simulador de financiamento


1
2
3
4
5

Selecione a sua região

Selecione a sua cidade

Pensando em mudar para um apartamento? Saiba quais são os principais custos que você terá e se organize

É a realização de um sonho poder adquirir o primeiro apartamento. Ter o próprio espaço é um passo importante para o nosso crescimento individual. Ao mudar para um novo imóvel,  podemos conquistar a independência, deixar de pagar aluguel, começar um projeto de família, iniciar um investimento para o seu futuro, escolher o lugar da cidade que queremos morar e até decorar tudo do nosso jeitinho.

Apesar do desejo de ter o próprio apartamento, muitas vezes não sabemos por onde começar e quais são os principais custos dessa nova etapa da vida. Afinal, um planejamento bem feito e uma pesquisa sobre as possibilidades de financiamento e estratégias para comprar imóvel são fundamentais para transformar um sonho em realidade.

Escolher um apartamento com um condomínio de lazer completo se pretendemos começar uma família ou um bairro que nos faça economizar tempo para ir ao trabalho são coisas para pôr na balança antes de realizar esse sonho. Além disso, precisamos considerar todos os gastos que teremos no novo lar.

Nesse sentido, preparamos este artigo com excelentes dicas para quem vai se mudar para o primeiro apartamento. Confira!

Os primeiros passos antes de mudar para o imóvel próprio

Existem algumas etapas que precisamos cuidar antes de mudar para o apartamento próprio. O primeiro passo é pesquisar sobre o mercado imobiliário e decidir se você prefere um apartamento novo, usado ou na planta.

A partir disso, você pode escolher o bairro e o tipo de apartamento que deseja. Por exemplo, se quer um apartamento de dois quartos para começar uma família ou um quarto e sala para morar sozinho. 

O segundo passo é avaliar a construtora e imobiliária. É importante procurar uma empresa que ofereça dedicação e cuidado, afinal é o processo de realização de um sonho. A construtora e a imobiliária irão ajudar nos passos seguintes: as formas de pagamento e o financiamento do apartamento.

Normalmente, ao comprar um imóvel, é preciso dar uma entrada de 20% do valor total. No entanto, existem formas de comprá-lo e não precisar dar uma entrada por meio de programas de auxílio habitacional do governo.

Após a entrada, o próximo passo é o financiamento do apartamento, em que o resto do valor será parcelado e incidirão juros anuais.

Escolhendo o melhor tipo de financiamento, avalie a infraestrutura do imóvel antes de fechar a compra. Veja se o apartamento tem tudo o que precisa: condomínio fechado, quantidade de quartos, vagas para garagem etc.

Por fim, com o auxílio da construtora ou imobiliária, separe toda a documentação necessária e realize o seu sonho.

Quais são os principais custos de um apartamento?

Saber o que conferir antes de comprar um apartamento é fundamental para não se arrepender, afinal é um investimento para a vida toda. Por isso, é importante saber quais os principais custos para manter um apartamento. Estes gastos podem ser de curto e longo prazos.

A seguir, confira os principais itens e como se planejar financeiramente:

Parcelas do financiamento

O valor a ser financiado na compra de um apartamento é a diferença entre a entrada e o valor total. O financiamento imobiliário funciona como um empréstimo que garante a propriedade ao solicitante. Esse valor será dividido em uma quantidade de vezes por um longo prazo. 

Essa quantia pode ser subsidiada por programas do governo, como o Minha Casa Minha Vida, ou por meio de consórcios e financiamentos bancários. A partir da documentação, da escolha do apartamento e da aprovação da instituição financeira, o bem é quitado e você se torna o proprietário do apartamento, passando a pagar a dívida com o banco em parcelas mensais.

É importante lembrar que este é um custo a longo prazo, que pode durar mais de uma década. Por isso, se planejar para incluí-lo no orçamento mensal é essencial. Também é imprescindível encontrar a forma de financiar o seu imóvel com a menor taxa de juros e economizar antes de se mudar.

Condomínio

O condomínio de um apartamento é uma despesa fixa de longo prazo. A própria nomenclatura já sinaliza ser um espaço dividido entre várias pessoas. Morar em condomínio fechado apresenta diversas vantagens, como segurança, área de lazer e privacidade.

Hoje em dia, temos condomínios com preços acessíveis, principalmente quando o número de moradores é maior, que apresentam uma boa estrutura para quem quer ter uma família ou receber os amigos, atendendo às demandas pessoais e a um orçamento que cabe no bolso. As construções mais novas costumam possuir salão de jogos, espaço gourmet e área de lazer infantil.

Outra dica importante é buscar informações antes de decidir pelo local, ficando atento à administração e observando se há débitos, multas ou ações trabalhistas e judiciais. Vale observar se existe alguma taxa extra e por quanto tempo ela incidirá no valor do condomínio.

IPTU

IPTU é a sigla para Imposto sobre a Propriedade Predial e Territorial Urbano. Ele é um valor cobrado aos proprietários de imóveis em regiões urbanas. O imposto é a estimativa do valor de compra e venda do imóvel, o valor venal, e multiplicada pelo percentual tributário estabelecido pelo Poder Público.

O imposto pode ser parcelado em mensalidades pequenas durante um ano, mas existem descontos caso seja efetuado um pagamento único antes de uma data-limite, que muda de acordo com a cidade. Assim, planejando com antecedência, é possível escolher qual a melhor forma de manter o orçamento em dia – lembrando que o IPTU é um custo anual a longo prazo.

Despesas fixas (água, luz, gás e internet)

Outro gasto a longo prazo que precisamos pôr na planilha são as despesas fixas. São os custos mensais que precisam ser incluídos na renda mensal para que tenhamos qualidade de vida. Podemos destacar quatro principais: água, luz, gás e internet.

Uma forma de economizar é ter a medição de água individualizada, o que já normalmente deixa o valor do condomínio mais em conta e você só paga pelo seu consumo. Também é possível economizar individualmente, assim como na conta de luz – diminuindo o uso, como banhos menos demorados. 

Com o aumento do gás de cozinha, vale a pena pôr na planilha a possibilidade de escolher um apartamento com gás encanado. Além do corte no gasto para cozinhar, é possível diminuir a conta de luz, principalmente trocando o chuveiro elétrico pelo a gás. Em relação à internet, é bom observar se existem provedores locais que possuem um melhor custo-benefício ou se o indicado para sua família é um provedor grande que oferece o combo telefone fixo e TV a cabo.

Invista na reforma para economizar na manutenção

O investimento na finalização do apartamento deve ser contabilizado como um custo no processo de mudança. É um gasto normalmente alto e de curto prazo.

Mesmo adquirindo o imóvel dos sonhos, sempre é necessária alguma alteração, como luzes, tomadas, boxes, vasos sanitários, armários, telas nas janelas em caso de crianças e/ou animais etc. Decoração também deve ser levada em conta neste aspecto.

Recomenda-se investir um pouco mais na reforma, com materiais de longa duração, para que se gaste menos no futuro com a manutenção, e em um cronograma de obras para que toda a reforma tenha um prazo para cada etapa ser finalizada. Pequenas reformas posteriores terão menos custos e serão pontuais, não se tornando algo permanente.

Outra dica é fazer uma poupança mês a mês para essas pequenas reformas e não ser pego de surpresa.

Seguro

O seguro imobiliário serve como uma garantia para evitar problemas e gastos desnecessários. Como o seguro de carro, existem diversas apólices de seguro imobiliário. Quanto maior a extensão do imóvel, maior o valor do seguro, porém mais protegido estará o seu apartamento contra incêndios, roubos, problemas de fiação, conserto de eletrodomésticos e outros acidentes.

Caso seja possível, vale a pena fazer um orçamento com uma corretora de seguros.

Planejamento financeiro é essencial para quem se muda para o seu primeiro apartamento

Comprar e mudar para um apartamento próprio requer planejamento financeiro, visto que são diversos gastos de curto e longo prazos. Assim, é fundamental organizar os seus gastos. É importante fazer uma planilha de despesas e receitas. Observe o dinheiro que entra, anote as despesas e controle os valores que saem.

É imprescindível realizar um levantamento de custos fixos. Por isso, organize suas contas pessoais e ponha na planilha os principais custos do seu apartamento – a parcela do financiamento, o condomínio e as contas fixas – e planeje com antecedência outros tipos de gastos. 

Outra dica é sempre fazer uma reserva de emergência. Separar uma porcentagem das receitas mensais é imprescindível para não ter que lidar com surpresas no meio do caminho. O planejamento financeiro familiar é a melhor saída para ter controle dos custos e poder viver o sonho do apartamento próprio.

Gostou da leitura? Então esses outros conteúdos podem interessar:

Até a próxima!