x

Simulador de financiamento


1
2
3
4
5

Selecione a sua região

Selecione a sua cidade

Como funciona o financiamento de imóvel?

Para muitos brasileiros, comprar a casa própria ainda é um sonho! Além de ser um grande passo, é uma decisão acompanhada de diversos fatores, incluindo — muitas vezes, o financiamento imobiliário. 

E, apesar de parecer este “bicho de sete cabeças”, pode ser muito vantajoso para você e sua família! Para desmistificar o tema e mostrar que não é tão complicado quanto parece, a Prestes montou um guia para te mostrar algumas maneiras de transformar este sonho em um verdadeiro investimento. Confira!

Afinal, o que é o financiamento de imóveis?

De maneira objetiva, o financiamento imobiliário é o “empréstimo” de uma certa quantia de dinheiro de alguma instituição financeira. Na hora de pagar este valor, é oferecida uma parcela fixa, com prazos já definidos em contrato. 

Mas, aqui é onde está o grande diferencial: os bancos e instituições financeiras não vão, simplesmente, emprestar dinheiro sem nenhum retorno, é preciso que seja vantajoso para os dois lados. Para que isso possa acontecer, é adicionado uma taxa de juros e uma correção monetária, também pré-acordada em contrato. 

Só que o banco não vai emprestar o dinheiro de graça, ele precisa de um retorno. Para que isso aconteça, ele adiciona a taxa de juros e correção monetária, também acordado ao tirar o valor. O financiamento de imóveis, então, é quando você utiliza o valor adquirido para financiar o imóvel junto ao banco, para comprá-lo. Então, o financiamento imobiliário nada mais é do que a solicitação deste valor para aquisição do imóvel. 

Enquanto não for quitado, o imóvel é ligado ao proprietário e penhorado junto à instituição financeira. Assim, o empreendimento servirá de garantia, tendo um tipo de contrato muito comum atrelado: o de alienação fiduciária. Mas calma, não se assuste com a palavra! A Prestes preparou um glossário simples dos principais termos que você pode encontrar neste processo. Confira!

Principais termos utilizados no financiamento imobiliário 

Alienação fiduciária 

A alienação fiduciária nada mais é do que uma transferência de confiança, ou seja, o banco empresta o dinheiro e, em contrapartida, você oferece o imóvel de garantia até quitar a dívida. 

Aqui, o grande ponto de atenção é que você não é o dono do imóvel, e sim o banco. O que lhe é garantido é a posse de residência, ou seja, o direito de morar dentro do empreendimento. Então, em caso de não cumprimento do financiamento, ele passa para a posse da instituição financeira a modo de quitar a dívida. 

Amortização

A amortização, por sua vez, é um dos sistemas mais comuns dentro dos contratos de financiamento imobiliário. Funciona, basicamente, como uma maneira de abater o valor inicial da dívida, antecipando as parcelas. Isso acontece porque, ao amortizar, você reduz também o custo dos juros, reduzindo a sua dívida.

A opção de financiamento imobiliário com amortização se torna uma opção muito vantajosa, devendo ser observado se o contrato contempla a prática. Para quem tiver curiosidade, a tabela que se utiliza para os créditos imobiliários, é o Sistema de Amortização Constante (SAC).

Atualização monetária

A atualização monetária é uma maneira de corrigir a moeda do Real, em comparação com a inflação. Ou seja, neste modelo, acontece uma adequação da moeda brasileira ao momento financeiro do país, focando na compensação de qualquer perda devido aos reajustes. 

Saldo devedor 

Por fim, o saldo devedor é relacionado ao valor do financiamento atual, ou seja, considerando os pagamentos mensais e as amortizações feitas. É sobre esse saldo, que é realizado o cálculo de juros, seguros e liquidação do financiamento.

Obs.: consulte a instituição financeira de sua preferência sobre as opções de financiamento. 

Como funciona o financiamento de imóveis

Cada instituição financeira tem suas condições especiais para esse tipo de empréstimo. A taxa de juros, condições de pagamentos, duração de contratos e outros detalhes mudam de banco para banco e é por isso que se torna fundamental pesquisar cada opção e proposta. Abaixo, veja o que é necessário:

Se prepare e planeje para o financiamento

A escolha de um financiamento pode onerar suas finanças por algum tempo, portanto, inicie seu planejamento financeiro com muita antecedência. Observe todo seu fluxo financeiro, gastos e o que pode ser cortado. Aproveite para ver algumas dicas de como se preparar para o seu primeiro imóvel

Feito isso, comece a guardar o dinheiro de entrada do imóvel. Todas as instituições pedem essa quantia, que varia de 20% a 30% do valor do empreendimento. Portanto, comece a construir sua reserva financeira e se prepare para esse momento. 

Além disso, estude e simule as parcelas do financiamento, para que tenha uma previsão orçamentária do quanto aquele imóvel vai te custar por mês. Ainda mais, consulte seu score nas empresas de avaliação de crédito. Quanto melhor for sua pontuação de bom pagador, mais fácil é aprovar o crédito e a instituição oferece condições e taxas de juros especiais.

Reúna todos os documentos necessários

Já comece a buscar todos os documentos comprobatórios, pois eles serão solicitados pela instituição para fazer a análise de crédito e começar o processo de financiamento de imóvel:

  • Cópias e originais dos documentos de identidade – se mais de uma pessoa for integrar o financiamento, precisa de todos;
  • Certidão do estado civil;
  • Comprovantes de renda: para assalariados, os holerites da empresa. Se tiver outra fonte de renda, também é importante apresentar para complementar o empréstimo. 
    • Autônomos podem apresentar contratos de prestação de serviços, declaração completa do IR, recibos autenticados dos trabalhos e outros.

Esse último é fundamental para a liberação do financiamento imobiliário. Em quase todos os tipos de financiamento, existe uma regra de não comprometer mais do que 30% da renda familiar mensal. Por isso, reúna o máximo de comprovantes de renda para certificar da sua capacidade de pagamento.

 

Tudo em mãos? Então é hora de pedir o financiamento

Com o valor de entrada, documentação e nome em ordem, está na hora de realizar o sonho de comprar o imóvel próprio e dar entrada no financiamento. Já tendo em vista o imóvel, o banco irá solicitar a certidão de matrícula do Cartório de Registro de Imóveis, atualizada. Além disso, ele não pode ter nenhuma dívida com a prefeitura ou condomínio.

Caso ainda não tenha um imóvel à vista, fique tranquilo. O banco efetuará todo o processo de análise e se tudo estiver em ordem, fazendo a liberação do financiamento, te dará uma carta de crédito, válida por até 3 meses. Assim, você terá o dinheiro em mãos para fechar o negócio e realizar o tão esperado sonho de comprar seu imóvel próprio. Efetuado a compra, é assinado o contrato de compra e venda, assim como o de financiamento, portanto, escolha com sabedoria o tipo de financiamento para não ter sustos.

E aí, gostou de entender mais como funciona o financiamento imobiliário? Então venha para a Prestes e encontre o imóvel dos seus sonhos! Nossos corretores estão à disposição para te atender da melhor maneira possível. 

Rate this post